A MINHA HISTÓRIA

A MINHA HISTÓRIA DE VIDA

Desde criança que aprendi com os meus avós a dar a minha opinião sobre vários aspetos da sua atividade. Eram lavradores e conjuntamente comerciantes. As férias grandes passava-as numa aldeia do interior. Na altura, era um local privilegiado, com bastante população.

Assim, acompanhava o meu avô nos diferentes trabalhos que os trabalhadores realizavam nos campos. Era um mundo muito diferente da cidade, mas era fantástico, aprender quando os frutos das árvores estavam prontos para ser colhidos ou quando as uvas estavam “no ponto” para se fazerem as vindimas.

Para além disso, tinham uma loja que vendia de tudo. Acompanhava-o na compra dos produtos, a distinguir a qualidade dos mesmos e como negociar. Nessa altura, o negócio era tradicional. Mas ele pedia-me sempre a minha opinião. Achava que tinha uma aptidão para diferenciar a qualidade/ preço.

No período de aulas regressava à cidade com os meus pais e era o tempo do estudo, de menos liberdade.

Mas eu vivia estes “dois mundos” que se completavam e era feliz porque aprendia muito.

Licenciei-me em História e Filosofia e tive como principal atividade o ensino. Era um dos meus sonhos.

Sempre fui muito curiosa e determinada para me lançar em novos desafios que me levavam sempre à aquisição de novos conhecimentos e experiências.

 

.

Frequentei várias cadeiras de Psicologia, embora não tivesse concluído o Curso.

 

Posteriormente, algumas circunstâncias da minha vida conduziram-me ao estudo de Medicinas Alternativas.Comecei inicialmente em Portugal. Posteriormente, tirei vários mestrados em Reiki Usui japonês, Karuna, Regressão a vidas passadas, Aromoterapia, Hipnoterapia e PNL Reflexogia e outros na Alianza Espanhola de Reiki em Madrid. Conjuguei a minha profissão de professora com estas novas atividades. Fiz terapia, formei uma comunidade para ensinar. Na altura e ainda hoje, nem todos os cursos estão legalizados. Muitos dos que frequentavam, tinham como ideia principal desenvolver o seu autoconhecimento, melhorar os relacionamentos familiares e ensinar os filhos a crescerem com responsabilidade e autonomia.

Fiz voluntariado no IPO de Lisboa. Na década de 90 do século passado, voluntariado era uma verdadeira aventura. Alguns enfermeiros já tinham ouvido falar das novas medicinas, mas aplicar no Hospital era um desafio que muitos não se atreviam a experimentar. Claro que adoro desafios e nunca tive qualquer problema. Muitas vezes era apenas uma conversa que os fazia sentir melhor.